Por que a Low Carb?

Tempo de leitura: 4 minutos

Por que escolhi adotar a Low Carb?

dieta low carb alimentos permitidos

Entre tantos estilos de alimentação, e depois de dezessete anos, fazendo as mais variadas dietas possíveis…, estou aqui compartilhando minha vida low carb. Isto porque, dentre todas as dietas que já fiz, ela foi a melhor e de mais fácil adesão!

Não digo que só foram flores no meu processo de adaptação.

Sempre fui apaixonada por pães, massas, arroz, risotos e tortas doces… não vou mentir! Nunca imaginei um café da manhã sem pão francês ou pão doce. Sempre os substitui por outros carboidratos: pão de forma integral, tapioca, pão de queijo (tudo nas porções prescritas).

E como já sabemos, os carboidratos são um vício!

Então, cortei tudo isso de uma vez!

No lugar dos pães (ou dos outros carboidratos) do café da manhã, passei a comer ovos mexidos, cozidos, fritos… e com o passar dos dias passei a não ter fome nenhuma pela manhã. Isso me ajudou bastante no início, por que não tinha aquela preocupação: “o que vou comer de manhã?” Depois, descobri as receitas de pão de low carb, bolos… e passei a fazer e congelar para os dias que tivesse fome e vontade.

cafe da manhã low carb

Em relação ao arroz que é um acompanhamento para todo tipo de prato, aprendi a comer sem! Acostumei-me fácil… pensei que seria mais difícil. Passei a me sentir tão saciada comendo carnes com gorduras, saladas regadas a azeite e verduras, que o arroz sumiu do meu inconsciente.

Confesso que as receitas foram de grande valia: arroz e purê de couve-flor podem ser excelentes acompanhamentos. Até risoto fiz com couve-flor (usei também creme de leite e shitake)!

E até para aquela vontade de doce encontrei e criei receitas low carb. E ressalto, que foram excelentes sobremesas – elas passaram a ser disputados na minha casa até quem ainda não era adepto a Low Carb queria comer. Algo que nunca havia cogitado anteriormente. Porque, por mais que tentasse reproduzir algumas receitas de doces que pudessem se encaixar nas dietas padrões que fazia, elas não lembravam em nada um doce tradicional… não eram boas!

A parte “boa” das dietas convencionais todo mundo recorda com facilidade e nostalgia até… Massss, da margarina light, do queijo cottage e da ricota ninguém lembra!!! A lista continua: leite e iogurte desnatados, mozzarella light, blanquet de peru, batata doce, fazer a carne na água (para não usar nenhuma gordura), ter que optar preferencialmente em comer filé de peito de frango a carnes vermelhas, gastar uma pequena fortuna com os suplementos… parece fácil de esquecer?! Pra mim NÃO! Não mesmo!

Fazia as dietas prescritas? Fazia! Mas, era um verdadeiro sacrifício! Fazia aquelaaa despedida antes de iniciar! Porque já sabia o que estava me esperando… uma dieta com alimentos insonsos, e com quantidades bem pequenas. Justamente por isso vivi no efeito sanfona! Perdia 12, 15kg e em questão de meses recuperava todo peso. Sem falar das horas e horas fazendo exercícios aeróbicos extenuantes.

Não conseguia fazer das dietas um estilo de vida! Quem aguenta viver comendo comida sem sabor?

dieta para emagrecer

E ao comer qualquer coisa fora da dieta era invadida por uma sensação de culpa terrível. Não tinha opções dentro das dietas ao sair para um almoço de família, nos aniversários… ter uma vida social não era compatível! Não consigo nem ao menos enumerar quantas vezes deixei de sair para não ter que enfrentar as comidas e ter a possibilidade de sair da dieta.

Tenho certeza que muita gente já passou ou está passando por isso.

Não responsabilizo nenhuma dieta, ou programa alimentar aos quais me submeti pelo meu transtorno alimentar. Mas, hoje, olho pra trás e tenho a plena convicção que todos eles colaboraram muito para todo meu sofrimento.

A Low Carb não me curou! Ela me libertou!

comida low carb